18.9.10

Big Shitty Movies #13: The King of Fighters


Atenção:
O texto não imagens da Mai Peituda, mas tem SPOILERS!

Sejamos francos: todos sabíamos que esse filme seria uma grande e fétida MERDA. Desde a divulgação do elenco até os trailers, a única certeza era que teríamos mais uma péssima adaptação de um game para o cinema.

E foi o que aconteceu!

A História


Após ficar desaparecido durante muito tempo, o maligno Rugal (Ray Parker) retorna a ativa para novamente tentar conseguir aquilo que havia falhado: conseguir o poder de Orochi. No entanto, ele terá que passar por cima do jovem Kyo Kusanagi (Sean Faris), do misterioso Iori Yagami (Will Yun Lee) e da bela Mai Shinauri (Maggie Q) para conseguir aquilo que julga ser de seu direito.


Porque este filme é uma Grande Bosta ?



Antes mesmo do lançamento do filme, a maior reclamação por parte dos nerds punheteiros era em relação a personagem Mai Shiranui já que ela não se vestia como uma ninja piranha e, principalmente, por não ter peitões.

Realmente a Mai do filme em nada tem haver com sua versão ninja. Aqui ela é uma agente infiltrada do FBI que se passa por peguete do Iori Yagami e ainda arrasta uma asa para Kyo Kusanagi (tá, talvez ela continue sendo piranha).

Mas acreditem, a personagem de Maggie Q, assim como o de Will Yun Lee, são os que menos comprometem no filme, motivo pelo qual falarei deles mais a frente.

Outra fato que é bom esclarecer: o que realmente tem de KOF nessa película ?

Tirando o fato dos personagens do filme terem o nome dos lutadores do jogo, temos aqui a rivalidade entre os clãs Kusanagi e Yagami, a história das três relíquias com o poder de aprisionar o demônio Orochi … e só!
 

O filme em si não se baseia em nenhuma das trocentas edições do jogo, sendo a sua trama simplesmente montada apartir de inúmeras referências dos games dentro de um enredo escrito por uma pessoa que jamais jogou The King of Fighters e que possivelmente fazia uso de cogumelos alucinógenos enquanto trabalhava.

Prova disso era como funcionava as batalhas no filme. Quando um lutador era convocado para sair no tapa contra outro, ele recebia um aviso no formato de uma luz azul em um comunicador. Ao colocar esse comunicador perto do ouvido, a pessoa era teletransportada para uma outra dimensão (o.O) onde os combates eram realizados.

E tem mais: nessa outra dimensão cada lutador surgia com a sua própria vestimenta de combate além de adquirir defeitos especiais poderes especiais  e capacidade de executar golpes que desafiam as leis da física.

Haja alucinógenos  =P



dos os problemas começam quando Rugal invade um evento promovido por Chizuru Kagura (Françoise Yip) (que também promove o torneio The King of Fighters) e se apodera de duas das três relíquias sagradas que estavam sendo expostas. Durante a confusão, Chizuru ainda é ferida e Rugal consegue escapar (quase sem ser notado) de um salão CHEIO de agentes do FBI !!!!

É incrível a facilidade como o vilão invade facilmente um lugar que deveria estar fortemente protegido. No entanto, só haviam seguranças no salão do evento e no portão de entrada…e se não bastasse isso, ao chegar no salão principal, os seguranças só resolvem aborda-ló quando ele chega a praticamente UM PALMO de distancia de Kagura. E ela ainda, mesmo sabendo que o cara é mau feito pica-pau, não faz absolutamente nada até que ele se aproximasse dela.¬¬

E isso não é tudo.

Além de Mai (que estava na platéia), haviam outros agentes do FBI que sabiam sobre Rugal, estes liderados por Terry Bogard (David Leitch). Entretanto, ao invés de se misturarem dentro do evento, eles se limitam a ficar dentro de uma camionete monitorando uma UNICA câmera instalada no local.

Sinceramente, eu não sei dizer quem é mais o incompetente até aqui.



Com o controle de duas das relíquias responsáveis pelas viagens ao outro mundo (segundo o personagem Iori, pelo menos :P), o torneio é então cancelado temporariamente, no entanto isso não acontece na prática.Como parte de seu plano “diabólico”, Rugal continua o torneio justamente afim de eliminar todos aqueles que poderiam interfir em seu caminho. Mas para o trabalho sujo, ele conta com o serviços de Mature e Vice (que por muito pouco não protagonizaram um rock das aranhas xD), ambas controlas mentalmente por ele.

Agora, é preciso deixar bem explicito uma coisa: apesar de parecer pelo texto um vilão fodão, o papel de Ray Paker é totalmente ridículo! A impressão que dá é que seu papel é um personagem saído do mundo dos Looney Tunes e sendo dirigido pelo Joel Schumacher na época em que cuidava dos filmes Batimá Carnavalesco devido as suas piadinhas infames e ao seu jeito despirocado (típico dos vilões do Homem Morcego da era Schumacher).

Entretanto há um personagem que supera o de Parker no quesito imbecilidade:



O personagem principal, Kyo Kusanagi.

Desde o Perseu do  Sam Worthinaton, eu não havia me irritado tanto com um protagonista como o Kusanagi vivido por Sean Faris. Assim como o personagem de Worthinaton, o personagem de Faris é um cara que passa boa parte do tempo reclamando e renegando o próprio destino. Mas diferente de Perseu, o Kyo do longa metragem é um tremendo de um BUCHA DE MERDA !!

Sério, como se convencer de que o cara é fodão se ele passa o filme INTEIRO APANHANDO ?

Não satisfeito em só apanhar, Kyo participa de um grande momento de pura vergonha alheia quando tem o seu braço facilmente deslocado pela Mai.

A melhor frase para descrever a participação do personagem no filme é dita por Iori: “Você é uma vergonha para o clã Kusanagi
 


Outros personagens como Terry Bogard e Chizuru Kagura não acrescentam muito a trama. O primeiro é limitado a ser o alivio cômico sem graça e o personagem mais burro do filme enquanto Kagura é a coitada que só se ferra durante a história.

Nem no quesito ação os dois também não colaboram. Enquanto Terry praticamente só apanha, Kagura praticamente não entra na porrada, sendo o empurrão em Rugal, no inicio do filme, a sua única demonstração de “artes marciais”.

O longa metragem ainda possui uma porrada de furos na trama. O mais idiota de todos acontece quando temos um flashback de Kyo quando criança, onde ele aparecia treinando artes marciais com seu pai, Saisyu Kusanagi (Hiro Kanagawa). Se vocês prestarem atenção, o Kyo mirim é feito por um ator obviamente mais novo e oriental…enquanto o ator Sean Faris não tem NENHUM, MAS NENHUMMMMMMM TRAÇO ORIENTALLLLL !!!


Chega, nem eu agüento mais falar dessa porcaria!


Mas não tem nada de bom ?

São pouquíssimas, mais pouquíssimas coisas que se salvam nessa pilha de bosta. Uma delas é justamente a participação de Maggie Q no filme. Apesar de sua Mai ser totalmente diferente da original, ela talvez é a única personagem que realmente impõe respeito durante o filme todo.

Seria muita mais aceitável ver ela vencendo Rugal do que o Kyo.

Já Iori também não é o mesmo dos games, no entanto ele é talvez o personagem que mais semelhanças possui em relação ao original, principalmente quando seu corpo é tomado pelo poder de Orochi.

Fora que ele consegue enfrentar o vilão de igual para igual, algo que seu rival não consegue fazer.

O filme ainda conta com um pequeno Easter Egg



… que não é grandes coisas pra falar a verdade, mas eu resolvi colocar mesmo assim xD.

Agora, se você chegou até aqui e continua reclamando do fato da Mai não ser a gostosona de antes, eu só te digo uma coisa:

Sabrina Sato ;D

Muito pior que “Street Fighter: A Lenda de Chun-li”

Eu nunca pensei que um filme baseado em um game conseguiria bater A Lenda de Chun-Li no quesito ruindade, pelo menos não tão cedo. Mas conseguiram, The King of Fighters é muito pior que o filme da ex-Lana Lang.

Diferente de Street Fighter, o filme de KOF tem muita cara de produção feita para televisão, tanto pela qualidade de imagem quanto pelos seus efeitos especiais (aquele efeito do carro explodindo é digno de Novela da Globo).

Enquanto vemos um amadurecimento em relação as adaptações de quadrinhos, as de games ainda parecem muito longe de terem o mesmo respeito. Enquanto não houver certa seriedade por parte dos estúdios, infelizmente a tendência é ter produções ainda piores pela frente.


Ficha Técnica

The King of Fighters
EUA, 2010
Ação

Diretor Incompetente:
Gordon Chan

Roteirista drogado:
Rita Augustine e Matthew Ryan Fischer

Elenco desta merda:
Maggie Q, Sean Faris, Ray Parker, Will Yun Lee, David Leitch, Françoise Yip, Monique Ganderton, Bernice Liu, Hiro Kanagawa.


---------------------------------------------------
Quer ter uma imagem associada a seu comentário ?
Clique aqui e veja como \o/

Sugestões, críticas, elogios ?
Envie para nerdologialternativa@gmail.com

Acompanhe nossas postagens via twitter: @NerdAlt
Ou através de nossa página no Facebook

9 comentários:

Geovani disse...

pelo q to vendo consegue ser pior q tekken q tb eh outra bomba

Miriam disse...

Realmente, o Kyo Kusanagi é a cara do pai! hahaha

Edu Aurrai disse...

O horror. O HORROR!

Cara, que desastre! Inconcebivel e inaceitável. Eu sentiria vergonha por todo o resto da minha patética existência se tivesse que dizer para alguém: Então, eu fui o Darth Maul, o cara que matou o Qui Gon Jin e protagonizou a luta de sabres de luz mais legal de todos, todos, TODOS os filmes de Star Wars. Agora eu acabei como um Rugal que rebate bolas de baseball extra-dimensionais nos meus inimigos.

O único personagem que se mostrou pelo menos parecido com a sua contraparte nos games foi o Saisyu Kusanagi, e olhe lá.

Ótimo artigo bro.

Blog Meia Boca disse...

Cara, Tekken é uma bombinha de São João comparado com a Bomba H que é o KOF. Pelo menos Tekken tentaram deixar os personagens fieis aos personagens do jogo tanto na aparência quanto no estilo de luta. O Eddie parecia ser o verdadeiro retirado direto do jogo. Só pela Christie Monteiro o filme já valeu a pena xD. As lutas pareciam ser bem mais reais, do que o aquela coreografia que é o KOF. As vezes eles começavam a desviar do golpe antes mesmo do adversário ter começado a pensar em dar o golpe.

Em termos de efeitos tekken investiu um pouco mais, parecia até ter sido feito por Michael Bay devido a quantidade de explosões. Os efeitos de KOF parece ter sido feito por algum estagiário que estava aprendendo a utilizar Adobe Premiere e Adobe After Effects, os efeitos que eles utilizaram em magias e tiros eu tenho eles aqui no meu PC, só dar um CTRL + C e CTRL + V em qualquer filmagem e tá pronto.

Sou um fanático por tekken (o jogo) e com certeza o filme não superou as espectativas, mas também não foi um lixo total. Ai vem aquela a pergunta: Mas e a história? Bem, tem gente que achou Avatar uma bosta por que a história não fazia sentido, portanto não é possível agradar gregos e troianos ao mesmo tempo.

Paulo André disse...

Mas uma franquia de sucesso com um filme de merda!
Já tivemos Street Fighter, KoF agora, Dragon Ball.

Prince of Persia foi bom até, mas não foi fiel a hstória original.

Marcel disse...

Eu ainda não assisti Tekken =/
Mas se ele é ruim, não deve chegar nem perto da ruindade do KOF.

Alias, The King of Fighters nesse momento é o PIOR FILME do ano DISPARADO!

Julian Francisco disse...

e o pior filme dessa coluna???

Marcel disse...

É um forte candidato, afinal ainda temos D&D, Batman & Robin, Super Herois e a Liga da Injustiça xD

Sami_aeris disse...

Americano definitivamente n sabe fazer filme baseado em jogos e animes orientais._.

Postar um comentário