23.10.12

[Crítica] Resident Evil - Condenação


A crítica de hoje não será destinada a um filme presente nas principais salas de cinema do país. E muito menos, a um longa metragem presente apenas em um país.

Hoje iremos tratar de uma animação japonesa que chegou recentemente ao mercado de home video (DVDs e Blu-Rays) nacional: Resident Evil - Condenação.

Apesar da franquia Resident Evil já estar nos cinemas a mais de uma década, uma vez que os filmes são totalmente desvinculados do universo dos jogos, os fãs gamers sempre sentiram-se órfãos de um filme que honrasse a série. Em 2008, a Capcom fez a alegria dos fãs ao lançar o primeiro longa animado da franquia, Resident Evil - Degeneração. Protagonizado pela dupla do jogo Resident Evil 2, Leon S. Kennedy e Claire Redfield, a franquia finalmente tinha um filme que era fiel ao universo estabelecido nos jogos.

Com a grande aceitação de Degeneração por parte dos fãs, era óbvio que a Casa do Megaman faria uma continuação. Quatro anos após o lançamento do  primeiro filme, eis que chega ao mundo Resident Evil - Condenação, a segunda animação da franquia. E se na primeira animação tínhamos uma história que se passava no universo dos jogos, aqui a Capcom resolveu unir o útil ao agradável uma vez que Condenação serve como uma pequena (mas pequena mesmo) prequência a Resident Evil 6, o novo jogo da franquia.

Ada Wong, continua gostosa...e ordinária também!
O enredo leva o agente especial Leon S. Kennedy à um pequeno país do Leste Europeu, assolado por uma guerra civil. Infiltrado, ele precisa confirmar as suspeitas do uso de B.O.Ws (Biological Organic Weapons) no conflito. Entretanto, no momento em que ia iniciar a investigação, o governo norte-americano exige a sua retirada imediata do país. Disposto a descobrir a verdade, Leon ignora a ordem e adentra no coração do conflito.

Como na primeira animação, o enredo de Condenação não é nada demais. Não há grandes reviravoltas ou grandes furos no roteiro. É uma trama simples e eficiente, capaz de prender a atenção do espectador. E como o centro das atenções é Leon (e Ada Wong, nas poucas mais importantes participações), os personagens secundários não tem muito espaço na trama e, com exceção da presidente Svetlana Belikova, nenhum deles desperta interesse.

Embora seja um filme voltado para os fãs dos jogos, qualquer pessoa pode assistir e se divertir com a animação. É claro que uma pessoa comum não vai conseguir absorver 100% das referências aos jogos ou observar a evolução de Leon e Ada ao longo dos anos (e dos jogos), mas a simplicidade da história, o carisma dos personagens do jogo e as cenas de ação irão entreter e apresentar ao novo espectador o verdadeiro universo de Resident Evil.

Mr X...ou seria um dos Engenheiros do Prometheus
Quanto a dublagem da animação, tanto a versão em inglês quanto a em português estão muito bem feitas. Como destaque da gringa, temos Matthew Mercer fazendo sua estréia como Leon, personagem anteriormente dublado por Paul Mercier. Já na versão nacional, temos o retorno de Felipe Grinnan como Leon S. Kennedy e a presença de Letícia Saori Quito como Ada Wong e Wendel Goku Bezerra como JD.

Em relação ao primeiro longa, a qualidade da computação gráfica melhorou consideravelmente. Em comparação a outros exemplares de animação produzido no Japão, a novo Resident Evil da Capcom ainda não superou um Final Fantasy VII - Advent Children (2005) da Square-Enix. Falando em aspectos técnicas, com exceção da canção "Carry on" de Anna Tsuchiya, a trilha sonora não chama muito atenção.

Comparando as duas animações (Degeneração e Condenação), devo confessar que eu gostei mais do primeiro longa. Enquanto o primeiro já começa chutando o "pau da barraca", a ação no segundo vai crescendo com o passar do tempo. Além disso, a primeira animação contou com a presença de Claire Redfield, uma grande personagem da franquia que a "Srta. Capcom" vem esquecendo em seus jogos. Entretanto, ambos os filmes possuem algo em comum: Leon S. Kennedy mostrando o porquê de ser o Sr. Fodão da franquia.

"Eu já disse milhares de vezes, para matar zumbis, atire na cabeça!!!"
E sim, ele é o meu personagem favorito de toda a franquia hehe.

Enfim, mesmo não superando a primeira animação, Resident Evil - Condenação diverte aos fãs e não fãs da saga. Se para cada filme que o Paul W. S. Anderson lançasse nos cinemas tivéssemos um examplar produzido pela Capcom, Milla Jovovich pode continuar descendo a lenha em zumbis o tempo que quiser. :D

Nota: 7,5

PS: E mais uma vez a versão em DVD  não contou com a dublagem original (a japa), mas novamente contou com a versão Tailandesa. O__O #PORRASONY #PORRACAPCOM


Ficha Técnica

Resident Evil: Condenação (Resident Evil: Damnation, 2012)
Animação | Ação | Terror (?!)

Direção: Makoto Kamiya

Roteiro: Shotaro Suga

Elenco (Norte Americano): Matthew Mercer, Dave Wittenberg, Val Tasso, Robin Sachs, Courtenay Taylor, Salli Saffioti.

Elenco (Brasileiro): Felipe Grinnan, Wendel Bezerra, Letícia Quinto, Nestor Chiesse, Raquel Marinho, Gervásio Marques, Carlos Campanile, Fritz Gianvitto, Cássia Bisceglia.


---------------------------------------------------
Quer ter uma imagem associada a seu comentário?
Clique aqui e veja como \o/

Sugestões, críticas, elogios?
Envie para nerdologialternativa@gmail.com

Acompanhe nossas postagens via twitter: @NerdAlt
Ou através de nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário