23.5.18

[Tirou do Baú] Os Herculóides


Postado em: 17/04/2011.
Atualizado em: 23/05/2018.

Pois é meus caros leitores, estamos de volta com mais um artigo atualizado (mas com cheirinho de novidade) no Nerdologia Alternativa.

Após atualizar vários textos bem mequetrefes que fiz sobre animes e tokusatsus, chegou o momento de apresentar um artigo decente sobre uma produção norte americana que fez parte da infância de muitos que já passaram da casa dos 30. Neste artigo da seção Tirou do Baú, iremos relembrar de Os Herculóides, um dos desenhos de ação/aventura mais batutas já produzidos pelo estúdio de William Hanna e Joseph Barbera.




Ficha Técnica

Os Herculoídes (The Herculoids, 1967-1969 e 1981)
Ação | Aventura

Produção: Hanna-Barbera.
Temporadas: 3.
Episódios: 47.
Exibição original: CBS.
Exibição nacional: TV Globo, TV Record, TV Bandeirantes, Rede Manchete, Cartoon Network, Boomerang e Tooncast.

Em seus primeiros anos no mercado, a Hanna-Barbera mostrou ao mundo que não estava de brincadeira. Mesmo dispondo técnicas de animação muito mais baratas e modestas que a concorrência, isso não impediu o estúdio de criar verdadeiros hits. Entre 1957 (ano de sua criação) até 1964, a HB lançou com grande êxito desenhos como Dom Quixote (Huckleberry Hound), Zé Colmeia (Yogi Bear), Os Flintstone, Manda-Chuva (Top Cat) e Os Jetsons. Com sucesso em dois gêneros de animação (o de animais antropomórficos e os "sitcons de família”), em 1965 o estúdio deu um novo e ousado passo, o lançamento de uma animação de aventura com toques de ficção científica. Essa animação era nada menos que Jonny Quest.

O sucesso das aventuras da família Jota Quest acabou estimulando o estúdio a produzir novas produções do gênero. Foi então que nos anos seguintes, o estúdio contratou Alex Toth, quadrinista/cartunista que tinha em seu currículo uma experiência de cinco anos na DC Comics. Em seu período como funcionário do estúdio, Toth foi responsável pela criação de séries animadas como Space Ghost, Homem-Pássaro (Birdman), Laboratório Submarino 2020 (Sealab 2020), e claro, o assunto principal de nosso artigo, Os Herculóides.


O Primitivo e Estranho Planeta Quasar

E esse olhar de desconfiança do Zok?
Extremamente distante de nosso sistema solar, Quasar é um planeta primitivo habitado por criaturas monstruosas e medonhas. Mesmo não sendo o melhor lugar para se viver, o corpo celeste é frequentemente visado por entidades malignas, vindas de todos os cantos do universo.

Entretanto, esses invasores acabam sempre deparando com um mesmo empecilho em seus planos: Zandor, o Rei de Quasar, e sua armada de poderosas bestas, conhecida como Herculoídes. O grupo é formado por cinco criaturas: Zok, um dragão alado capaz de disparar raios laser dos olhos e do rabo da cauda; Tundro, um rinoceronte encouraçado de oito patas capaz de esticar suas pernas e disparar pedras de energia de seu chifre; Igoo, um enorme gorila de pedra dotado de grande resistência e força física; Gloop e Gleep, duas criaturas gelatinosas capazes de alterar a forma de seus corpos.

Além dos Herculoídes, Zandor ainda conta com o apoio de sua família, Tara (a sua bela esposa) e Dorno (o seu filho aborrecente adolescente). Juntos, eles enfrentaram qualquer ameaça afim de proteger o seu planeta natal.


HERCULOÍDEESS!!!

"Bem, aquele Titã louco nunca mais irá nos perturbar."
Os Herculoídes foram lançados em um ano de grande produtividade para a Hanna-Barbera. Para se ter ideia, nesse mesmo período Zandor e seus amigos dividiram as atenções do público com novidades como Homem-Pássaro (Birdman), Galaxy Trio, Shazam (o gênio, não o personagem da DC), O Poderoso Thor Mightor (Mighty Mightor), Quarteto Fantástico (Fantastic Four), O Jovem Sansão (Samson & Goliath), Abbott e Costello (The Abbott and Costello Cartoon Show) e Moby Dick.

Sim caros leitores, vocês não leram errado. O estúdio lançou 9 desenhos em 1967, isso sem contar os episódios da segunda temporada de Space Ghost. Naquela época, a HB estava tão pilhada para lançar novos produtos que se alguém chegasse com a ideia de colocar Josie e as Gatinhas (Josie and the Pussycats) no espaço sideral, eles produziriam esse desenho.

E digo isso com tranquilidade convicção, pois esse desenho realmente existe!

Mesmo com a grande concorrência pela atenção do espectador, Os Herculoídes cativaram o seu espaço no coração do público. E prova disso é que além de durar duas temporadas (o que para os padrões da época ERA MUITA COISA), o desenho ainda recebeu uma nova temporada em 1981, quando fez parte do bloco Space Stars. Embora a série não tenha um novo desenho animado ou temporada desde então, os seus personagens hora ou outra surgem estrelando HQs ou sendo referenciados mundo a fora (conheçam mais no tópico “Algumas Curiosidades”)

"Igoo, já chegou o disco voador!"
Por aqui, a série animada passou a fazer parte no imaginário dos brasileiros no final da década de 60, quando foi adquirido pela Rede Globo. De lá para cá, a animação migrou por vários canais abertos (Record, Bandeirantes e Manchete) até a década de 90, quando chegou na TV Paga pelo Cartoon Network. A partir de 2000, a série passou a se restringir apenas aos canais pagos, como o Boomerang e o Tooncast. Atualmente, a única maneira de se assistir o desenho é através da internet.

Para quem nasceu na segunda metade dos anos 80 (como esse que vos escreve), conheceu a produção na época em que era exibido pela Manchete. Conforme expliquei no meu artigo sobre Corrida Maluca, a emissora costumava a recorrer aos desenhos da Hanna-Barbera para preencher pequenas lacunas em sua grade de programação. Era bastante comum, por exemplo, assistirmos a um episódio Bacamarte e Chumbinho (Punkin' Puss & Mushmouse) entre um anime ou outro.

E convenhamos, para uma criança que mal podia esperar para ver o Yusuke Urameshi descer a porrada no Toguro, era muito mais negócio colocar um episódio de Herculoídes antes do anime do que enfiar 10 minutos ininterruptos do comercial do Sonic 2000.

Sim, essa piada é a versão atualizada de uma que fiz no texto de Corrida Maluca. E eu não me arrependo disso

Seria Igoo a evolução perdida do pokémon Golem?
Em Herculoídes, não havia um vilão principal ou um grande arco dramático. A animação apresentava uma estrutura narrativa bastante simplória, o que era de praxe para as produções de aventura daquele período. A série seguia o tradicional formato de episódios fechados, ou seja, histórias que se resolviam no mesmo episódio em que eram apresentadas. Além disso, os acontecimentos de um capitulo não reverberavam nas tramas seguintes, o que garantia aos personagens o mesmo status quo durante todo o desenho.

Embora para os dias de hoje pareça um formato um tanto quanto ultrapassado, ele apresentava algumas vantagens. Para acompanhar o desenho, um novo espectador não precisava começar a assisti-lo desde o primeiro episódio. Em qualquer episódio que ele iniciasse, ele entenderia o "espírito da coisa". Inclusive, a abertura do desenho já apresentava tudo o que o espectador precisava saber sobre a produção.

Com relação aos roteiros, as aventuras normalmente seguiam a uma mesma formula: uma ameaça (interna ou externa do planeta) surgia perturbando a paz de Zandor e seus amigos; há um primeiro confronto entre heróis e vilões; o confronto é interrompido e os vilões fogem, normalmente sequestrando um dos mocinhos (normalmente um dos membros humanos do time); os Herculoídes se reagrupam e moem os inimigos na porrada vencem a batalha (ora expulsando os invasores ora os destruindo); e claro, ao final tudo voltava ao normal. Episódios como Os Homens-Aranha (The Spider Men), Malak e os Gorilas de Aço (Malak and the Metal Apes) e Os Homens Sem Rosto (Attack of the Faceless People) são exemplos perfeitos a esta ideia de roteiro.

Quando o desenho recebeu novos episódios na década 80, os roteiristas até introduziram algumas mudanças ao modelo de narrativa. Por exemplo, em A Criatura Energia (The Energy Creature) e O Intelecto (Mindbender), os heróis se mostram incapazes de vencer os inimigos em combate e isso os obriga a elaborar estratégias alternativas para neutralizar as ameaças. Mas certamente, O Pássaro de Fogo (The Firebird) é a trama que mais "foge" da formula clássica de roteiros do desenho uma vez que não apresenta um vilão maligno como antagonista.  O pássaro do titulo nada mais era que uma mãe enfurecida que precisava de ajuda para encontrar o seu filhote.

Zandor é um cara de sorte.
Sejamos justos meus caros leitores, quem assistiu ao desenho quando era pivete não estava preocupado com profundidade de trama ou formato narrativo. A única preocupação era ver Igoo, Zok, Tundro e até mesmo Gloop e Gleep em ação. Embora o núcleo humano seja legal, as cinco bestas de Quasar são a alma e o coração da animação. A série animada não teria a mesma força com o público sem os seus “Herculoídes” principais.

Mais do que o grande ponto forte da produção, o carisma do quinteto é mais uma prova da capacidade da Hanna-Barbera em criar grandes personagens. Embora essa capacidade tenha se diluído com o passar do tempo, em seus anos dourados o estúdio dos pais de Tom & Jerry dominavam essa arte como poucos. E claro, não podemos deixar de citar que nada disso teria funcionado sem o talento de Alex Toth. O conceito das criaturas é algo tão fascinante e cativante que, mesmo meio século após sua criação, ele ainda funciona tanto para adultos quanto para crianças.

Poxa vida, estamos falando de um dragão que dispara raios laser, um rinoceronte blindado que dispara pedras de energia pelo chifre e de um gorila de pedra porradeiro. Como isso não pode ser legal? :D

Embora não percebamos quando crianças, o conceito dos protagonistas humanos também é muito legal. Zandor é o perfeito arquétipo de um herói de quadrinhos: possui ótimo preparo físico e reflexos de dar inveja a Bruce Wayne; conta com excelente mira para disparar pedras de energia em seu estilingue de dar inveja a Oliver Queen e um grande domínio no uso de escudo de dar inveja a Steve Rogers. Além de suas habilidades para ação, o líder dos Herculoídes ainda dispõem de um grande conhecimento sobre os povos de Quasar e de outros planetas, além de manejar tecnologia alienígena com facilidade. Ou seja, ele é muito mais do que um mero Tarzan genérico de uma galáxia perdida.

Sério se a Hanna-Barbera tivesse o seu próprio grupo de heróis, aos moldes da Liga da Justiça e dos Avengeiros Vingadores, Zandor com toda certeza seria um membro da equipe.

E não, a Arca do Zé Colmeia não conta como supergrupo. :P

"Infinity War is the most ambitious crossover event in history". Bitch, please!
Mesmo não possuindo a mesma relevância que os demais personagens, Tara e Dorno são personagens vitais ao desenho...e não digo isso porque ambos são as principais vítimas de sequestro por parte dos vilões. Tara, por exemplo, dentro do que a mentalidade da sociedade nos anos 60 permitia, era uma mulher de ação. Na ausência de Zandor (que de vez em quando também sofria com sequestros), era ela que liderava os Herculoídes contra as ameaças do planeta. Em combate, ela também contava uma grande habilidade com o estilingue de pedras de energia.

Quanto a Dorno, apesar de seus esforços em ajudar muitas vezes resultarem em seu sequestro, o garoto sempre mostra disposição em lutar ao lado de seus pais. Inclusive, no episódio O Monstro Glacial (The Ice Monster) dos anos 80, fica bem claro que o pivete tem o seu pai como espelho do que quer para o seu futuro. Aliás, não sei quanto a vocês, mas sempre achei engraçado (para não dizer curioso) o fato de Dorno chamar seus pais pelo nome. Inicialmente acreditava que isso era uma característica da dublagem brasileira, mas ela também está presente na original. Seria isso uma estratégia do estúdio para ajudar o público a aprender o nome do casal de protagonistas? Ou apenas algo que foi feito sem qualquer intenção?
Com a propriedade intelectual da Hanna-Barbera de posse do Cartoon Network, seria muito legal  o canal um dia resolvesse ressuscitar Os Herculoídes para uma nova série. Obviamente que uma nova animação não contaria com os clássicos efeitos sonoros que a HB safadamente reaproveitava em todos as suas produções, mas ao menos seria uma nova oportunidade de ver mais aventuras protagonizadas pelos personagens. E não só isso. Seria uma ótima oportunidade de desenvolver e até expandir vários dos conceitos criados por Toth. 

Mas considerando o histórico do canal, se isso um dia visse acontecesse, seria bem provável que tivéssemos uma nova série de comédia...o que não é ruim. Afinal de contas, Space Ghost Costa a Costa (Space Ghost Coast to Coast, 1993 - 2008) e Harvey: O Advogado (Harvey Birdman: Attorney at Law, 2000 - 2007) são geniais. Mas sinceramente, preferiria ver Zandor, Tara, Igoo & cia naquilo que fazem de melhor: descendo o sarrafo nos vilões.

OBS: Recomendo a todos que veja um episódio produzido nos anos 60 e depois assistam a um produzido em 1981.  Sério, a evolução na qualidade de animação que vocês presenciaram será gigante. ;)


Algumas Curiosidades
  • Nos episódios da década de 60, o planeta dos Herculoídes chamava-se Amzot. Quando a animação retornou na década de 80, a terra natal de Zandor & cia foi rebatizado como Quasar (nome que usamos durante o artigo).
  • Como puderam notar nas artes deste artigo, os Herculoídes já protagonizaram um crossover com Space Ghost. O encontro aconteceu em duas oportunidades na série do Fantasma do Espaço. A primeira aconteceu no episódio Os Monstros de Moltar (The Council Of Doom Part Four: The Molten Monsters Of Moltar), exibido em 16 de setembro de 1967. A segunda e última reunião ocorreu no episódio Cubo Espacial (Spacecube Of Doom), exibido em 21 de novembro de 1981.
  • No final dos anos 90 e começo dos anos 2000, Zandor esteve presente em dois curtinhas que eram exibidos durante os comerciais do Cartoon Network. Acompanhado de Mulher-Maravilha, Homem-Pássaro, Zan (dos Supergêmeos) e Falcão Azul, os curtas mostravam os heróis em situações mundanas. O primeiro mostrava o grupo se acomodando em acentos de um avião enquanto o segundo o cenário era uma sala de cinema.
  • Tundro e Gloop fizeram uma participação especial no episódio "8 Simple Rules for Buying My Teenage Daughter" (S04E08) de Family Guy.
  • Os Herculoídes também fizeram algumas aparições no mundo dos quadrinhos. Entre 1968 à 1969, eles apareceram nas edições #1, #2, #4, #5 e #6 da série Hanna-Barbera Super TV Heroes. Em 1978, eles apareceram na edição #3 de Marvel Comics Book TV Stars. A última aparição nas HQS ocorreu entre os anos de 1997 à 1999, onde apareceram nas edições #5, #9, #13 e #17 da série do Cartoon Network Presents, da DC Comics.
  • Ainda nos quadrinhos, a DC Comics reuniu os desenhos animados de aventura espacial e ficção científica da Hanna-Barbera (Os Herculoídes, Space Ghost, Jonny Quest, Galaxy Trio, Os Impossíveis) em um grande crossover, o Future Quest. O título teve um total de 12 edições e foi publicado entre 2016 e 2017.

Aberturas e Episódios



Abertura




Episódio 1: Os Piratas




Episódio 2: A Vingança de Sarko




Episódio 3: As Estranhas Criaturas


------------------------------------

Enfim, este foi mais artigo  da seção Tirou do Baú.

Gostaram do artigo? Desejam ajudar com alguma referência não citada, corrigir alguma informação equivocada ou simplesmente me xingar?

A resposta para essas perguntas é simples: deixem um comentário nesta postagem.

Acredite, sua participação é o que move o Nerdologia Alternativa continuar existindo. ;)

---------------------------------------------------
Quer ter uma imagem associada a seu comentário ?
Clique aqui e veja como \o/

Sugestões, críticas, elogios ?
Envie para nerdologialternativa@gmail.com

Acompanhe nossas postagens via twitter: @NerdAlt
Ou através de nossa página no Facebook

9 comentários:

Dragonerd disse...

Excelente revisada, mas vamos admitir que esse literalmente, veio do fundo do baú, senti até o cheiro do mofo. Vou assitir um episódio e ver se vale a pena

~* DJ' *~ disse...

Poxa...eu lembrava desse desenhoo, mas beeeeem vagamente.
Só lembrava desse monstro bolha e dos humanos xD

Herculóides...que nome tosco xD

Gustavoqueiroz01 disse...

Cara eu assistia isso e pelo que me lembro, gostava pra caramba, estou ficando velho ahahahah.
Marcel, excelente artigo, está de parabéns, ótima escolha.

Miriam disse...

Oh, o desenho que eu confundia com He-man quando eu era pequena (sim, eu consegui essa proeza *-*')
Esse vc realmente desenterrou. Eu sei que assisti alguns episódios, mas realmente não me lembro direito :S

Essas cenas aleatórias de Family Guy são as melhores! Esse episódio pelo jeito tem a ver com aquela série que a atriz que faz a Penny de TBBT trabalhava, né?

Pelo menos esses Glup e Glip parecem ser melhores nas transformações do que o carinha dos Super Gêmeos \o/

marcelo porto disse...

olá boa noite! não sei se vc sabe mas esse desenho passava também na tv bandeirantes por volta de 1983 a 199 alguma coisa... a Bandeirantes passava também o Space Ghost e o melhor de todos os tempos: Johnny Quest!! Abraço!

~* DJ' *~ disse...

Poxa...eu lembrava desse desenhoo, mas beeeeem vagamente.
Só lembrava desse monstro bolha e dos humanos xD

Herculóides...que nome tosco xD

Miriam disse...

Oh, o desenho que eu confundia com He-man quando eu era pequena (sim, eu consegui essa proeza *-*')
Esse vc realmente desenterrou. Eu sei que assisti alguns episódios, mas realmente não me lembro direito :S

Essas cenas aleatórias de Family Guy são as melhores! Esse episódio pelo jeito tem a ver com aquela série que a atriz que faz a Penny de TBBT trabalhava, né?

Pelo menos esses Glup e Glip parecem ser melhores nas transformações do que o carinha dos Super Gêmeos \o/

Gustavoqueiroz01 disse...

Cara eu assistia isso e pelo que me lembro, gostava pra caramba, estou ficando velho ahahahah.
Marcel, excelente artigo, está de parabéns, ótima escolha.

Dragonerd disse...

Excelente revisada, mas vamos admitir que esse literalmente, veio do fundo do baú, senti até o cheiro do mofo. Vou assitir um episódio e ver se vale a pena

Postar um comentário